A GERIATRIA

Parkinson

Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum no mundo. Sua origem ainda não está totalmente clara, mas sabe-se que alguns casos podem ter relação com traumas cranianos e exposição a agrotóxicos. Ocorre intensa redução de dopamina (neurotransmissor importante na realização e coordenação dos movimentos) em determinada região do cérebro (substância negra), causando progressiva dificuldade em realizar movimentos.

Em geral, os sintomas motores surgem após os 40-50 anos e são caracterizados por bradicinesia (lentidão dos movimentos), tremor (em geral, com predomínio de um dos lados do corpo, em repouso), rigidez (dificuldade em realizar movimentos) e

alteração da marcha (passos curtos), com aumento do risco de quedas. Além dos sintomas motores, podem também ocorrer alterações no sono, sintomas depressivos, ansiedade, declínio cognitivo (demência), dores crônicas, hipotensão, incontinência urinária e constipação intestinal.

s

É muito importante que o diagnóstico seja feito precocemente para que o melhor tratamento medicamentoso possa ser indicado.

s

Em casos selecionados, pode ser recomendado procedimento cirúrgico (estimulação cerebral profunda), com intuito de reduzir a necessidade de medicação e melhorar a qualidade de vida.

s

O tratamento também inclui fisioterapia e atividade física supervisionada para melhora de equilíbrio, marcha, postura, flexibilidade e força.

s

Acompanhamento multidisciplinar (neurologista, geriatra, psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional) pode auxiliar a manter a qualidade de vida por mais tempo! Fique atento aos sintomas e procure ajuda se observar alguma alteração!

É considerada um procedimento seguro e que traz benefícios prolongados ao paciente.

Se estiver procurando acompanhamento geriátrico em Campinas, agende uma consulta com a Dra. Daniela Gracioli.

Open chat
Tem alguma dúvida?